Sonho, sombras e super-heróis ~ Luiz Bras

Tinha sido um sonho, não tinha?

Acordado ou não, só podia ter sido um sonho.

Passei o resto da noite recapitulando tudo o que havia acontecido, de madrugada eu percebi eufórico que tinha uma história, um sonho só meu, aleluia, porém quanto  mais eu pensava nela mais a história mudava, coloquei um cemitério e um casarão mal-assombrado atrás da porta, depois troquei tudo isso por uma cidade fantasma habitada por espíritos cruéis e esqueletos ambulantes, a história cresce, adensou-se e roubou o controle da situação.

Eu já não inventava mais minha história, era ela que se autoinventava.

Sonho, sombras e super-heróis – Luiz Bras

 ISBN: 978-85-62-01808-4

Editora: Autores Associados – Ciranda de Letras

Ano de Lançamento: 2011

Estrelas: 4 de 5

Páginas: 256

Sonho, sombras e super-heróis é o segundo livro que a Autores Associados cedeu para resenha aqui no blog!

Bem, o livro, do brasileiro Luiz Bras, conta a história de Efraim (ou, como prefere, Batman), um garoto que, quando pequeno, não conseguia sonhar. Até que, um dia, ele tem seu primeiro sonho e, depois disso, não consegue mais parar de sonhar e passa a confundir o que é sonho e o que é realidade. Ele começa então a viver uma série de aventuras para proteger a sua cidade, Cobra Norato dos vários diferentes bandidos que existem por lá, incluindo o doutor Mefisto. Em mais um de seus dias de luta contra o crime, ele conhece Diana, uma garota que tem o mesmo “problema” que ele: não conseguia sonhar! Eles, então, se unem e passam a defender a cidade juntos!

Eu confesso que demorei para pegar no tranco com esse livro. Quando eu vi o release dele, eu fiquei super animada e logo pedi para a editora me enviar. Me enrolei com algumas leituras da escola e do vestibular e, quando comecei Sonho, sombras e super-heróis, acabei me decepcionando um pouco com o começo, mas não desanimei!

No início, não consegui me adaptar muito bem ao estilo de narrativa do autor, o que fez com que eu ficasse “entalada” em alguns trechos do livro. Os diálogos são misturados com a narração – feita pela protagonista. Depois que consegui me achar na narrativa, o livro fluiu super bem!

É uma aventura que eu nunca ia esperar! Fiquei realmente surpresa com o livro e com a maneira que a história foi sendo desenvolvida. Uma das coisas que eu mais gostei do livro foi o fato de alguns dos moradores da cidade terem nomes de escritores famosos (Senhor Lewis, – que ajuda Efraim e Diana em sua busca – Senhora Rowling, Senhora Machado, Senhor Lobato…)!

Se tiverem a oportunidade, leiam Sonho, sombras e super-heróis. O livro é cativante e, depois que você se acostuma, a escrita de Luiz Bras é simplesmente incrível e te prende até o final do livro. Além disso, o livro conta com ilustrações que dão aquele up na diagramação e deixam a história mais interessante, pois podemos acompanhar com imagens o que está acontecendo!

Anúncios

A Garota Que Podia Voar ~ Victoria Forester

Em A garota que podia voar, Victoria Forester constrói uma história cativante. A pequena Piper, uma garotinha que consegue flutuar no ar, passa por diversas mudanças em sua vida até ser enviada para um lugar onde todas as pessoas possuem uma habilidade especial. Mas a história não para por aí, Piper vive muitas aventuras e seu destino é incerto nas mãos de cientistas que querem torná-la uma criança normal.

Piper é uma garota que nasceu no Condado de Lowland, onde o número de vacas superava o número de pessoas, cerca de 93 vacas para cada habitante. Sua mãe, Betty McCloud, tinha pavor cada vez que via a filha flutuando no ar, até que, quando Piper completou 5 anos de idade, resolveu levá-la ao doutor Bell. O médico que já havia visto o filho dos Smiths tossir uma chave de fenda e um pacote inteiro de pregos, além de ter visto um homem falar de traz para frente, jamais tinha visto uma garotinha que flutuava.

A Garota Que Podia Voar – Victoria Forester

 ISBN: 978-85-62-01807-7

Editora: Autores Associados

Ano de Lançamento: 2012

Estrelas: 4 de 5

Páginas: 266

Acho que a maioria de nós já sonhou ter o poder de voar quando era criança, não sonhou? Acontece que Piper McCloud pode fazer isso.

A Garota Que Podia Voar, de Victoria Forester e trazida ao Brasil pela editora Autores Associados conta exatamente a história da menina que eu falei a cima. Piper nasceu diferente. Desde pequena, flutuava pela casa, e isso assustava seus pais. Mas o que eles mais temiam era o que a cidade pensaria sobre a família deles se algum dia vissem a filha voando. Afinal, em uma cidade onde a população de vacas supera o número de pessoas, o status é tudo.

Na primeira vez que a menina sai de casa, ela acaba se soltando e, durante um jogo de baseball, começa a voar. É nesse ponto que a história começa a ficar interessante, pois a Doutora Letitia Hellion vai buscar Piper para levá-la a um local onde existem crianças como ela, e onde ela vai poder aprender a desenvolver melhor o dom que tem, mas não é bem isso o que acaba acontecendo.

Lá, a protagonista acaba desenvolvendo várias amizades, incluindo a com Conrad, um menino de onze anos que é literalmente um gênio.Uma coisa que me incomodou um pouco é como uma menina de cinco anos fica amiga de um menino de onze. Claro que isso não acontece de repente, que primeiro o menino tem segundas intenções nessa proximidade com Piper, mas depois…

Além disso, em alguns momentos parece que as crianças têm uma idade muito superior àquela retratada no início do livro. Conrad se safa dessa, mas há momentos em que a protagonista parece ter mais de quinze anos por algumas atitudes que faz, e isso me confundiu um pouco e fez o livro cair um pouco na minha escala.

A escrita de Victoria Forester é suave e fluída, o que cria um ritmo de leitura delicioso. Também, a ideia que ela teve para criar esse livro foi muito diferente, pelo menos para mim. Gostei bastante do livro, embora seja indicado para um público mais jovem. A autora deixou o final do livro um pouco em aberto, dando brechas para uma continuação. Agora só resta esperar para ver o que vai acontecer!

Andando Na Minha Mochila #5

Andando Na Minha Mochila é uma coluna em que eu mostro o livro que eu estou lendo no momento, para deixar vocês a par do que está por vir aqui para vocês.

Como eu mostrei no “No Meu Correio”, eu recebi dois livros da parceria com a Autores Associados/Jovem Leitor/Ciranda de Letras. A Garota Que Podia Voar, da Victoria Forester é o primeiro dos dois livros que eu leio.

ISBN: 978-85-62-01807-7

Editora: Ciranda de Letras

Ano: 2012

Páginas: 266Assinatura_2

No Meu Correio #7

Um meme criado pela Kristi do The Story Siren.

Ele voltou! Eu quase não tenho comprado livros, para tentar terminar de ler os que eu já tenho, por isso a falta do No Meu Correio… Mas eu recebi um pacote lindo da Autores Associados e eu vim mostrar tudo para vocês!!

Vamos?

Assinatura_2

A Primeira Parceria do Blog!!!

Gente, vocês não sabem o quão feliz eu estou enquanto eu escrevo esse post! É com um imenso e enorme prazer que eu venho aqui falar que o Cantinho da Cah conseguiu sua primeira parceria!!

Autores Associados

A Editora Autores Associados, com o selo Jovem Leitor, é, oficialmente, a primeira editora parceira do blog! Já estamos conversando desde o ano passado, e agora é oficial!!

Eu queria agradecer muito a editora por confiar no blog para ser um de seus parceiros. Vocês não tem ideia de o quão importante isso é para mim.

E logo logo tem dois livros novos rolando aqui pelo blog para vocês e, quem sabe, o primeiro sorteio do blog?? Depende tudo de vocês, leitores!

Mais uma vez, obrigada pela confiança, pessoal da Autores Associados!!

Um beijo,

Assinatura_2